Existe um Mundo Secreto na Internet

Internet - 10 de Abril de 2022 - Imagem: Arquivo | Jornal eCuesta

Quem não tem segredos? Informações e pensamentos que mantemos escondidos dos demais por medo, vergonha ou talvez por estigma e privacidade. Desde opiniões não compartilhadas, afetos escondidos e até declarações, guardar segredos pode não ser fácil. Assim, para lidar com isso, cada vez mais pessoas estão optando por mensagens anônimas. Sendo assim, por mais que não pareça, guardar segredos pode realmente causar danos, "levando à fadiga, isolamento social e uma sensação reduzida de bem-estar". Então, se contar o segredo não é uma opção e nem mantê-lo para si, como lidar com esse peso? Com as redes sociais, surgiram as "páginas de confissões" anônimas.

ESPAÇO SEGURO

Por séculos e até os dias atuais, seres humanos costumam se confessar a líderes religiosos. Assim, nas décadas mais recentes, programas de rádio ocuparam suas programações com o quadro de confissões anônimas. No ano de 1980, um artista criou a Apology Line, (Linha de Desculpas, em tradução livre) que funcionou durante 15 anos e permitiu que os moradores de Nova York deixassem suas mensagens secretas em uma secretária eletrônica.

O objetivo disso era "fornecer uma maneira de as pessoas se desculparem por seus erros contra as pessoas sem se prejudicarem". Com isso, recentemente, as fitas antigas foram compartilhadas em um podcast que, novamente, se tornou popular na cidade, provando mais uma vez que as pessoas adoram escutar os segredos dos outros.

Agora, mais do que nunca, estamos constantemente procurando a perfeição e uma imagem instagramável de nós, dentro e fora das redes sociais. Juntando com a tal "positividade tóxica", chega a ser proibido errar ou ter qualquer pensamento negativo.

Contudo, há um canto da internet em que ainda é possível ser a sua versão mais honesta e aliviar o fardo de seus segredos sem que ninguém saiba: as páginas de Mensagens Anônimas. A princípio, fóruns e salas de bate-papo eram os palcos para compartilhar confissões. No entanto, atualmente, existem aplicativos com essa finalidade específica e contas moderadas de redes sociais.

UMA TERAPIA

"Se as pessoas puderem se conectar a grupos de apoio na internet, pode ser uma ótima oportunidade para compartilhar segredos anonimamente, sentir-se validado e aprender com outras pessoas que passam por experiências parecidas", diz Zehra Kamal Alam, psicóloga de Islamabad, no Paquistão. "Isso pode ser extremamente útil, especialmente quando se trata de se abrir sobre questões tabus de sexualidade, violência e abuso sexual", adiciona.

Dessa forma, segundo a especialista, quando se trata de aconselhamento e terapia, falar sobre seus problemas faz parte do processo de cura. Logo, não é surpreendente que as pessoas estejam recorrendo às mensagens anônimas.

MENSAGENS ANÔNIMAS NA INTERNET

"Nos velhos tempos da internet, você podia entrar em um fórum e gastar seu cérebro praticamente sem consequências", diz Rob Manuel, de Londres, o homem por trás de uma página de confissões chamada Fesshole, popular no Twitter.

"A sua família ou seu chefe não leem a página, é apenas um espaço seguro para descarregar sua mente. Sem ela, com o passar dos tempos, você poderia dizer a coisa errada e seu mundo poderia explodir". A mídia social é como um processador de frutas onde, se você continuar girando, poderá ganhar milhares de curtidas inúteis e, se parar, pode perder seu emprego.

Embora Rob receba centenas de mensagens anônimas todos os dias, ele compartilha apenas 16 em sua conta com mais de 460 mil seguidores.

"Estou funcionando como uma espécie de editor", explica. "Eu não vou compartilhar coisas que são obviamente falsas, ou que não são consensuais. Há algumas coisas que são apenas sombrias e eu não gostaria de incentivá-las", explica.

Uma mensagem dizia: "Meu padrasto faleceu no ano passado e minha mãe estava com o coração partido. Precisei vasculhar as coisas dele e encontrar suas senhas. Acontece que ele estava tendo casos em vários sites de namoro. Eu nunca disse a ela, isso partiria seu coração ainda mais."

THE SECRET KEEPERS

Já no Instagram, existe a conta The Secret Keepers. "Vivemos em um mundo desprovido de nuances e pode ser difícil falar sobre questões pessoais intensas com amigos e familiares", diz Olivia Petter, uma das pessoas por trás de The Secret Keepers, com sede no Reino Unido.

"Se você se sente sensível sobre algo, talvez não queira se expor. Parece mais seguro e menos aberto a julgamentos quando você é anônimo, na internet. É por isso que as pessoas têm terapeutas: você diz a eles coisas que nunca diria a seus amigos", diz Petter.

Assim, a conta fornece um fórum aberto para apoio e discussão sobre as mensagens secretas a respeito de assuntos diversos. Entre os seguidores, estão muitos terapeutas e psicólogos que oferecem mensagens de apoio e conselhos.

"Compartilhar segredos pode fazer com que as pessoas se sintam menos sozinhas e mais conectadas quando já estão isoladas, além de lidar com a vergonha de muitos desses problemas", diz Olivia. "A página está realmente repercutindo entre o público, e é adorável ver que ela está realmente ajudando. Esperamos que The Secret Keepers possa ajudar a combater um pouco do estigma em torno dos problemas, mostrando que os sentimentos são válidos".

CYBERBULLYING

No entanto, existe o lado sombrio das confissões. Então, em alguns casos, as pessoas são bombardeadas com mensagens malvadas de usuários anônimos, como é o caso de aplicativos como Whisper.

"Os fóruns online também podem ser explorados por pessoas com outros motivos e podem colocar em risco a segurança de alguns grupos vulneráveis", diz Zehra. "Se eles não são regulamentados, não têm qualquer forma de estrutura e fiscalização para os usuários, pode ser mais prejudicial do que benéfico. As pessoas podem acabar se sentindo mais sobrecarregadas, recebendo mensagens ruins e ainda mais confusas sobre como lidar com quaisquer desafios de saúde mental" diz.

 

» Participe do grupo do Jornal eCuesta no WhatsApp » chat.whatsapp.com/JyUrDbCIyzy6aIUDnyAmAF/
» Curta a página do Jornal eCuesta no Facebook » www.facebook.com/jornal.ecuesta/
» Siga o Jornal eCuesta no Twitter » https://twitter.com/Jornal_eCuesta
» Acompanhe o Jornal eCuesta no Telegram » https://t.me/jornalecuesta
» Siga o Jornal eCuesta no Instagram » https://www.instagram.com/jornalecuesta/