Ruy Carlos Pereira é expulso da Venezuela

O embaixador da Venezuela, Ruy Carlos Pereira, considerado persona non grata no país

Em um comunicado transmitido pela agência estatal de TV venezuelana, Pereira foi declarado persona non grata pela Assembleia Nacional Constituinte – isso significa que o embaixador, que está no Brasil para o Natal, não poderá retornar ao país.

A presidente da Assembleia, Delcy Rodríguez, anunciou que ele será mantido como persona non grata até que "se recupere a ordem constitucional que o governo Temer vulnerabilizou em nosso país irmão, após a destituição da presidente Dilma Rousseff".

A Assembleia Constituinte dissolveu a Assembleia Nacional venezuela em maio e é hoje o principal órgão do poder legislativo no país.

O Itamaraty ainda não foi comunicado oficialmente do episódio, mas diz, em nota, que aplicará medidas de reciprocidade se a decisão for confirmada. Diz ainda que a decisão demonstra "o caráter autoritário da administração Nicolás Maduro e sua falta de disposição para qualquer tipo de diálogo."

EXPULSÃO DUPLA

A Assembleia também expulsou o encarregado de negócios do Canadá.

O motivo, segundo Rodríguez, seria a "intromissão permanente e insistente, grosseira e vulgar nos assuntos internos de Venezuela, apesar de a chancelaria venezuelana, e não é de agora, durante anos tem feito chamados de atenção para que se respeite a convenção sobre relações diplomáticas."

REPÚDIO AO REGIME MADURO

O governo brasileiro afirmou, por meio de nota, que repudia o continuado assédio do regime de Nicolás Maduro à oposição venezuelana. Pelo comunicado, a imposição de exigências que comprometem a participação de importantes partidos de oposição no processo eleitoral. “São medidas que desmentem o anunciado interesse do governo venezuelano em buscar uma solução negociada e duradoura para a crise.”

Na mesma nota, o governo pede que Maduro reconheça “a gravidade do quadro humanitário e autorize a necessária ajuda internacional para fazer frente às carências que afligem a sociedade venezuelana, em particular em matéria de saúde e alimentação”. O Itamaraty afirmou que o Brasil continurá disposto a doar medicamentos e alimentos ao povo venezuelano.

Por: Redação | Jornal eCuesta
Imagem: José Cruz | Agência Senado