Saiba mais sobre a Deep Web

Saiba mais sobre a Deep Web

Fonte: Roberto Singer | Jornal eCuesta
Em: Terça-feira, 19 de Março de 2019
Imagem: Reprodução | Internet

Antes de sair para matar 50 pessoas em uma mesquita na Nova Zelândia, o autor do atentado anunciou em um fórum da internet que transmitiria o massacre ao vivo. Mas o anúncio não foi feito em uma página qualquer e com acesso fácil. Ele foi ao domínio mais obscuro da rede. Uma zona de ódio e crime que também atraiu os assassinos de Suzano: a Deep Web.

O computador da lan house frequentada por um dos atiradores de Suzano foi levado pela polícia para perícia. Os investigadores querem saber se, além dos jogos de violência, os assassinos planejaram o massacre navegando neste lado oculto da internet.

A deep web é uma parte invisível da internet. Ela foi criada para que o usuário tenha privacidade na navegação. Neste universo se navega sem incômodos de anúncios de empresas ou qualquer tipo de rastreio.

Segundo dados e estimativas, estima-se que a deep web, que surgiu no final do século passado, seja até 400 vezes maior do que a internet comum.

Lá existem fóruns onde podem ser planejados crimes, vendas de drogas e armas. O acesso a esses fóruns é mais difícil, pois a maioria encontra-se em uma área ainda mais oculta: a Dark Web.

A dark web é um terreno fértil para propagação de discursos de ódio de todos os tipos. Para chegar lá os usuários recorrem a tecnologias que permitem anonimato. Com essa sensação de anonimato muitos jovens passam a apresentar características que são comuns aos psicopatas. Eles simplesmente encontram na internet um lugar onde podem dar vazão a um traço anterior que ele já carrega possivelmente desde a infância.

Um desses grupos era frequentado pelo homem que em 2011 abriu fogo e matou 12 alunos de uma escola municipal em realengo, no Rio de Janeiro.

Agora a polícia investiga a participação dos assassinos de Suzano nestes fóruns. E os membros do fórum que de alguma forma colaboraram com o planejamento do massacre podem ser punidos. Segundo especialistas, quem tiver incentivado o planejamento pode ser indiciado como co-autor dos crimes, e dependendo da participação pode ser indiciado por homicídio.

Hoje, com o avanço datecnologia, o anonimato na internet é uma ilusão. A Polícia Federal no Brasil e o FBI nos EUA já navegam nestes ambiente há algum tempo. Graças as falhas da deep web, autoridades do mundo todo vão descobrindo a identidade destes criminosos. Em 2012 a polícia federal deflagrou duas operações que prenderam criadores de fóruns utilizados por atiradores e criminosos, como Emerson Eduardo e Marcelo Vale Silveira Melo, presos em 2012 durante operação.

 

Curta a página do Jornal eCuesta no Facebook e fique por dentro das principais notícias e novidades: www.facebook.com/jornal.ecuesta/