Doença do Carrapato pode ser fatal para o Pet

Um cãozinho da raça Fox Terrier, com um olhar tristonho e deitado sobre um piso de madeira com a pintura azul descascando

Por: Nicole Annunciato | G1 Itapetininga e Região
Em: Domingo, 21 de Julho de 2019
Imagem: Reprodução | Internet

A doença do carrapato é diagnosticada com frequência nos animais. No entanto, ela pode ser fatal para o pet. Segundo a médica veterinária Juliana Sonoda, existem dois tipos da doença, que pode ser transmitida por outros animais portadores.

"O mais comum é transmitido por uma bactéria, chamada de erliquiose, mas existe também a transmitida por parasita. O carrapato marrom é o mais comum e a doença pode ser transmitida de um animal contaminado para outro", diz. "Já atendi vários [animais] com essa doença, é bem comum. Principalmente na época que chove, aumenta bastante o número de casos", explica.

COMO IDENTIFICAR?

Segundo Juliana, alguns sintomas comuns da doença são a febre, falta de apetite e a perda de peso do pet. "Existem várias fases, o mais comum quando o animal apresenta a doença é perda de apetite e febre. Alguns ficam meio tristes. Mais para a frente começa a anemia, sangramento, até convulsão em alguns casos", explica.

Ela ainda afirma que a doença, quando não tratada desde o início, pode ser fatal para o animal. Além disso, ela conta que é importante prestar atenção na pelagem do pet. "O animal pode ter manchas no corpo. Em alguns casos que já tem anemia muito grave, precisa de transfusão de sangue. Aí pode vir a óbito."

TRATAMENTO

Segundo Juliana, é possível curar a o animal diagnosticado com a doença do carrapato. Ela ainda conta que o tratamento, dependendo do tipo da doença, pode ser feito com antibióticos e terapia. A alimentação saudável pode ajudar na recuperação do animal. "Oferecer carne, por causa da anemia. Alguns alimentos que sustentam mais, podem ajudar na recuperação", diz.

Para evitar a doença do carrapato, a veterinária dá algumas orientações para os donos dos pets, como manter o ambiente limpo e dar banhos no animal. "É bom realizar uma limpeza através de produtos antiparasitários e comprimidos. Além disso, banhos e uma limpeza no ambiente são importantes", orienta Juliana.

Além disso, para os donos que deixam o animal em contato com a grama, ela conta que também é importante realizar manutenção no local. Porém, mesmo com a realização dos procedimentos, caso o animal desenvolva algum sintoma, é recomendado que visite um médico veterinário para realizar uma consulta.

 

Curta a página do Jornal eCuesta no Facebook e fique por dentro das principais notícias e novidades: www.facebook.com/jornal.ecuesta/