Ponto Facultativo

Navegando pelo Facebook e lendo algumas postagens sobre feriados, feriadões e pontos facultativos, me surpreendo com alguns comentários de pessoas que questionam toda vez que se deparam com um ponto facultativo dentro do calendário escolar.

Para estas pessoas, vale ressaltar que uma creche é uma instituição educacional (traduzindo, uma escola), que atende alunos de zero a três anos, que é a primeira fase do ensino infantil. Isso quer dizer que, os alunos são matriculados na creche para se DESENVOLVEREM e APRENDEREM, e não para serem "depositados" lá dentro enquanto as mães vão trabalhar.

Uma escola, segue o calendário escolar, que, por Lei Federal, possui 200 dias letivos no ano. É dentro desse calendário que todas e as atividades pedagógicas são planejadas. Se pontos facultativos forem considerados como dias letivos só para que as famílias tenham a comodidade de deixar suas crianças na escola, ao final, esses alunos ultrapassarão esses 200 dias previstos pela lei.

É claro que o aluno estando matriculado facilita muito a vida da mãe que precisa trabalhar e essa parceria tem dado certo. Porém, é necessário que a sociedade se conscientize que esse assistencialismo NÃO é a função primária de nenhuma escola.

Pagamos nossos impostos para que as crianças tenham direito a educação de qualidade desde o berçário. A questão é que professores não são babás 24hs. É importante considerar também que a criança se esgota física e mentalmente no decorrer do ano e precisa de um descanso, de um tempo com a família, tanto quanto um adulto anseia por suas férias.

Portanto, fica o pensamento para que cada família medite antes de PLANEJAR (que palavra mais linda!) ter filhos: "Será que tenho condições de prover todo o tempo e dedicação que um filho necessita? Em caso afirmativo, quantos filhos minhas condições financeiras, meu tempo e minha saúde permitem ter? Terei estrutura para prover toda educação familiar ou pretendo delegar essa função a terceiros ou a outro órgão do governo?"

Se você ainda não tem filhos, ainda está em tempo de decidir.

Por: Roberto Singer | Jornal eCuesta
Texto baseado no original da: Professora Sulamita Catto | Diretora da EMEB Vereador Nelson Pinto
Imagem: Reprodução | Internet