Check-in no voo de Luan Santana

Luan Santana sentado na poltrona do piloto de um avião simulando estar pilotando o avião

"A Rayane tomou Dramin, gente!", grita uma das 50 fãs de Luan Santana no fundo do avião. "Imagina se ela dorme e não vê o Luan?", diz uma amiga meio rindo, meio preocupada. Sem problema: com o barulho que as fãs fizeram nas duas horas de voo fretado, não haveria remédio possível para dormir.

Eram 50 fãs sorteadas para ver um show do cantor em um voo entre Belo Horizonte e o Rio. Luan, que lança no dia 8 de dezembro o clipe de "Check-in", aproveitou para organizar a promoção com uma companhia aérea, fazer o pocket show no ar e levar as fãs de Belo Horizonte para ver uma prévia do clipe em um cinema do Rio de Janeiro.

BARROSO E AS LUANETES

Na chegada ao aeroporto do Galeão, no Rio, em um portão para voos fretados, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso esperava para embarcar em outro voo. De olhos arregalados, vendo o arrastão de fãs animadas com a chegada ao lado de Luan, o ministro Barroso tentava entender. "Como assim, estão gravando um clipe aqui?", ele perguntava para uma pessoa ao lado.

Quando uma das assessoras do cantor comentou alto que ali estava o ministro Barroso, as fãs, chamadas de Luanetes, não deram nenhuma importância ou sinal de que conheciam aquele senhor assustado. Seguiram direto na direção daquele que para elas era a autoridade máxima ali: Luan Santana.

MEDO DE ALTURA

Mais cedo, antes de Luan entrar no avião e da decolagem em Belo Horizonte, uma garota tremia. "Deixa eu me abanar que minha pressão tá caindo", anunciava Ingrid Lorraney Aparecida Cunha, 20 anos, estudante de Contagem e que agia como líder das fãs.

Ingrid tinha outro motivo para o nervosismo, além do ídolo. Ela fazia sua primeira viagem de avião. "Já briguei com minha mãe e perdi uma viagem de família, fiquei em casa sozinha, porque tenho medo de altura", ela explicava, tremendo.

"Posso descer do avião? Já vi o Luan", ela chegou a pedir. Mas acabou ficando. Sua distração foi comandar um coro que durou quase o voo inteiro com músicas e declarações de amor a Luan.

SANDUÍCHES PERFUMADOS?

Antes do show no ar, Luan passou distribuindo sanduíches aos passageiros (além das 50 fãs, viajavam jornalistas e pessoas de sua equipe), como se fosse comissário de bordo. "Agora eu vou precisar de um babador", pediu uma fã ao "aeromoço", aos risos

Foi aí que surgiu uma conversa do tipo que só se ouve entre pessoas mais fanáticas. "Gente, o sanduíche está com o perfume dele!", disse lá atrás uma fã. "Só porque ele pegou?", perguntou outra.

DESESPERO E SHOW DAS FÃS

Os comissários de bordo (reais) estavam recolhendo o lixo do lanchinho quando Luan começou a cantar, acompanhado só de um violonista. O caos começou, e os funcionários saíram correndo deixando lixo para trás.

Do lado das fãs, no fundo do avião, a voz do cantor era quase inaudível, mesmo com ajuda de umas caixinhas de som. Elas cantavam muito mais alto, e às vezes dava a impressão de que elas que estavam puxando as músicas e fazendo o show, com figuração do Luan lá na frente.

E O CLIPE?

No fim das contas, a viagem inteira levou à exibição dos três minutos do tal vídeo de "Check-in" em uma sala de cinema na Zona Oeste do Rio. Se você acha que este texto já tem muita informação, é porque ainda não conhece a música.

"Check-in" tem um início com batida que lembra o pop-r&b modernoso de Zayn, a voz lotada de Auto-Tune, depois vai cair em uma batida latina, quase reggaeton, mas não deixa de ter uma melodia que acena ao velho sertanejo.

O clipe, gravado em Bogotá, segue a viagem com uma massaroca de referências supostamente globais (dançarinas árabes, indianas, africanas, etc).

Mas o mais impressionante são os seguintes versos: "Deus fez a mulher de uma costela de Adão / Quando foi fazer você, foi do filé mignon". Luan é cada vez mais um cara sem fronteiras nem limites.

Por: Rodrigo Ortega | Jornalista convidado pela produção do cantor neste voo
Edição: Roberto Singer | Jornal eCuesta
Imagem: Reprodução | O Dia